quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Seventies

Neste feriado preguiçoso, senti necessidade de voltar ao meu blog, tão abandonado na agitação que o verão provoca. Decidamente, quando o calor chega sou uma cigarra, só quero saber de sol e mar.

É claro, que nos intervalos também trabalhei. Não abandonei minhas atividades profissionais,
mas me concentrar e escrever ficou difícil.

De vez em quando, tinha uma inspiração. Colocava nos rascunhos e, para ser fiel a mim mesma, vou publicá-los um a um.
Começo com o meu aniversário emblemático, quando completei 70 anos. Socorro, mas não teve jeito. Viver muito, significa acumular milhas, assim como no cartão de crédito. E para quem trabalha com Moda, os anos dão conhecimento precioso. Afinal, para dar depoimentos sobre ao anos 60, 70 e 80, nem precisamos consultar livros. Bacana!
E o acervo pessoal de roupas, então, nem se fala. É de dar inveja...
Nesse dias estava em Torres, praia que amo desde sempre. Tomei um lindo banho de mar. Fui festejada pelo sol , pelas ondas, amigos e familiares. Como lembrança, tirei uma foto de biquini branco. Olhem a roupa ou não roupa, falando.

Uma querida amiga disse aquilo que eu queria ouvir, expressando exatamente o que sinto:

Fico impressionada, como o tempo passa!!! Para mim, Tu nunca teve mais que 55!!!Quando observo Tua Trajetória fico com a maravilhosa sensação de é possível termos uma vida plena, independente da idade cronológica, que esta mesma vida nos apresenta como inevitável. Quitéria Meus Parabéns!!! Em breve estarei em POA para tomarmos um
café.
Abraços,Sandra

Ao assistir, na semana passada,ao show Beijo Bandido, de Ney Matogrosso, tive a certeza: o tempo também trabalha a nosso favor.


Show impecável. Priorizando a emoção e a originalidade em movimentos contidos, Bem diferente daquilo que lhe deu visibilidade nos anos 60. Agora êle pode se dar ao luxo maior de fazer o que tem vontade.
Num terno bege, reinventado por Ocimar Versolato, uma aula de moda concisa também impactou: no início Ney usou um cinto de placas metálicas e a gravata amarrada direto na pele- muito sexy. A camisa em cetim , assim como o forro do casaco, num tom de vermelho que só a seda pura possui, fazendo um perfeito Hi-Lo.
Quando Ney abre o casaco e mostra o forro vermelho a platéia delira e, segundo comentários de Ocimar - É a primeira vez que vejo um forro ser aplaudido.

No segundo momento do show - mais exuberante- Ney tira o casaco, uma pulseira de cristais escuros e a gravata. Arregaça as mangas e coloca um colar de cristais, que parecia indiano extremamente brilhante. Novamente a platéia delira. Nada como um colar para dar o recado.
Para concluir , como não se sentir animada quando comemoramos também com esta gente linda e louca por Moda? São minhas colegas de trabalho!

Um comentário:

  1. Que lindas essas meninas trabalhadoras!!!
    Bjo Quitéria!
    Manô

    ResponderExcluir